Fisioterapia na Osteoporose

8:55 PM Posted by Michelle Salerno Lima

Na osteoporose, pela diminuição da massa óssea, o osso perde a resistência ao impacto ficando vulnerável a fraturas. Trata-se de uma doença silenciosa, que quando fornece sinais de instalação proporciona alta morbidade.
A coluna vertebral é o local de maior ocorrência de fraturas, seguido do quadril e do antebraço. No antebraço é comum a fratura de Colles (fratura da extremidade distal do rádio com deslocamento do fragmento).
Segundo a OMS, um terço (1/3) das mulheres brancas são portadores de osteoporose. No homem pode surgir pela idade avançada, sedentarismo, baixos níveis de testosterona e insuficiente ingestão e absorção de cálcio. A carga genética (ambos os sexos) também contribui para o aparecimento da patologia. Importante saber que o pico de massa óssea decresce a partir dos 30 anos (atentar-se para a prática de exercício físico).
As fraturas osteoporóticas de quadril aparecem com maior frequencia em idosos mais frágeis, e as de punho em idosos mais ativos.
Os principais objetivos da fisioterapia devem ser manter ou melhorar a massa óssea, e aumentar a massa magra através de exercícios apropriados.
O exercício aeróbio de baixo impacto como a caminhada, melhora o condicionamento cardiorrespiratório e estimula a formação óssea. Portanto, para a construção e manutenção da massa óssea são importantes exercícios com descarga de peso (ex. caminhar, dançar, correr) e exercício de resistência com carga progressiva.
A caminhada deve ser realizada pelo menos três vezes por semana, por trinta minutos. A velocidade da marcha deve ser de acordo com o ritmo de cada um. Importante a hidratação antes, durante e após a caminhada.
Os exercícios aquáticos devem ser feitos com resistência para atingir os objetivos acima.
O ideal são atividades em esforço submáximo (60% - 70%) da FC máxima.
                                                     Michelle Salerno de Lima - fisioterapeuta



                                              www.fizyoterapistim.net

OBS: Osteoblasto - formação óssea
          Osteoclasto - reabsorção óssea

2 comentários:

Ana Lopes (E Agora, o Cabelo?) disse...

Oi desculpe-me a ignorância, Hosteoporose e hosteopenia é a mesma coisa?
Beijinhos

Michelle Salerno disse...

Olá Ana, seja bem vinda! Obrigada pela pergunta. Enfim, os termos são parecidos, relacionados com o osso, mas há uma distinção. Osteopenia ocorre quando o osso se torna menos denso que o normal, geralmente aparece na época da menopausa e com o avançar da idade, porém não é uma condição tão grave quanto a osteoporose, embora possa contribuir para o aparecimento da mesma. Na osteoporose a perda de massa óssea é maior, e nos estágios iniciais é assintomática, ou seja, a pessoa acha que está tudo bem com ela, porém quando os ossos já estão com um grau de enfraquecimento avançado eles podem fraturar, sendo comum fraturas no punho, na coluna e no quadril. Felizmente há tratamento para a osteoporose, feito por um médico especializado em doenças metabólicas, com a participação do fisioterapeuta que prescreve os exercícios apropriados e, com a orientação de um nutricionista. Como medida preventiva tem-se a prática regular de exercício físico; caminhada, dança, musculação, uma dieta rica em cálcio e em vitamina D, que ajuda na absorção do cálcio, e tomar sol (em horário apropriado), pois o sol estimula uma reação que faz com que a vitamina D seja produzida na pele.

Para complemento:

Algumas fontes de vitamina D: óleo de fígado de bacalhau, peixes de água salgada como sardinha, salmão e arenque. E está presente em menor quantidade nos ovos, na carne e no leite.

Algumas fontes de cálcio: leite, queijo, agrião, aipo, alga, brócolis, couve, soja, bacalhau e sardinha.

Grande abraço.

Postar um comentário